ALVENARIA RACIONALIZADA

09 setembro 2016

Modernamente se entende por alvenaria, um conjunto coeso e rígido, de tijolos ou blocos (elementos de alvenaria) unidos entre si por argamassa, dimensionada para resistir a ações de seu próprio peso. A execução da alvenaria se dá pela simples necessidade de vedação e divisão de ambientes, agregando o conforto acústico, térmico e estético ao mesmo.

No processo construtivo desta alvenaria em edificações, sob a ótica do método racionalizado e economicamente viável é imprescindível à perfeita interação entre projeto e a metodologia construtiva. Agregando assim, a otimização desta etapa em grande ganho em produtividade e redução de custo, sem desperdícios e retrabalhos gerados por falhas.

O princípio básico da alvenaria racionalizada é tomar todas as decisões quanto aos passos de execução na fase de projeto e documentá-los em forma de desenho ou observações descritivas. Assim, o projeto contempla todo o detalhamento executivo, estrutural, alvenaria e instalações, compatibilizando tudo.

Primeiramente, quando se pretende implantar conceitos de racionalização da construção em uma obra, deve-se iniciar pela estrutura da edificação. Em seguida, priorizar a alvenaria de vedação. Isso porque o subsistema de vedação vertical interfere nos demais subsistemas da edificação: revestimento, impermeabilização, esquadrias, instalações elétricas, comunicação e instalações hidrossanitárias.

A alvenaria racionalizada incorpora muitas das vantagens e da cultura do sistema construtivo em alvenaria estrutural convencional, tais como:

  • Desenvolvimento de um projeto de produção, onde todos os detalhes construtivos serão definidos, evitando a improvisação no canteiro-de-obras;
  • Integração de projetos: os elementos estruturais (pilares, vigas e lajes), de alvenaria e as instalações (elétricas, hidráulicas, gás, telefonia, etc.) serão integrados ao projeto de produção, para que não ocorram interferências entre os sistemas;
  • Treinamento e qualificação da mão-de-obra para adaptação ao novo processo;
  • Controle da qualidade e do consumo dos materiais;
  • Controle da qualidade da execução, evitando fissuras, trincas, erros de nível e de prumo;
  • Redução do desperdício de materiais, pois não são necessários cortes e rasgos na alvenaria de blocos para a passagem das instalações;
  • Elevada produtividade, permitindo a entrega da edificação em menor tempo;
  • Canteiro de obras limpo e organizado;
  • Melhor desempenho térmico e acústico da edificação.

Contudo, existem alguns detalhes no desenvolvimento de projetos de alvenaria racionalizada que devem ser observados:

  • Desenvolvimento do projeto arquitetônico com medidas modulares(por exemplo, múltiplas de 5cm) nas dimensões internas dos cômodos e de portas e janelas;
  • Dimensionamento dos elementos estruturais com medidas modulares;
  • Desenvolvimento dos projetos complementares (hidráulico, elétrico, etc.) com a utilização de shafts e prumadas verticais.

Em contraponto à alvenaria tradicional, a alvenaria dita como racionalizada apresenta características do tipo:

  • Utilização de blocos de melhor qualidade,
  • Preferencialmente com furos na vertical para facilitar a passagem de instalações;
  • Planejamento prévio;
  • Projeto da produção;
  • Treinamento da mão-de-obra;
  • Utilização de família de blocos com blocos compensadores para evitar a quebra de blocos na execução;
  • Redução drástica do desperdício de materiais;
  • Melhoria nas condições de limpeza e organização do canteiro de obras;

Para mais informações, entre em contato com a ARQCRUZ Engenharia. Teremos o máximo prazer em responder a todas as suas dúvidas.